Contando Histórias

O Trânsito E A Carteira De Habilitação

Em meados do século XIX, os antigos caminhos coloniais criados pelos Bandeirantes com as suas tropas de mulas e escravos, foram os grandes responsáveis da maioria das estradas brasileiras, em 1830 com a grande expansão da produção agropecuária liderada pelo café,  seguida pela cana de açúcar sendo a grande parte exportada para outros países, foi necessário construir o maior numero possível de estradas até o porto, já que as lavouras, principalmente o café eram localizados em regiões distantes dos locais de embarque, sendo estradas de péssimas qualidades para uso, pelo mundo, logo que os automóveis foram criados houve uma grande preocupação quanto a sua circulação entre as ruas movimentadas por carruagens, carroças, bicicletas, triciclos e principalmente por pedestres curiosos com aquela grande novidade inventada.

Apesar destes grandes e pesados veículos não ultrapassarem a velocidade de 4 km por hora, era preocupante a sua movimentação pelas ruas, especialmente dos ingleses no sentido de controlar o trânsito e os grandes congestionamentos criados por estes veículos próximo ao Parlamento, sendo o primeiro país a tomar medidas rigorosas para estes veículos como a proibição do estacionamento e o exame de condutores de veículos.


Quando os primeiros automóveis chegaram em nosso território desembarcados em portos do litoral brasileiro  no final de XIX estes veículos eram enormes, pesados, providos de motor a explosão e a vapor, sendo os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro os primeiros a conhecer aquele objeto de desejo e de muita curiosidade, o primeiro veículo chega da França a São Paulo no ano de 1893, era um Peugeot  de propriedade do rico fazendeiro de café, Henrique Santos Dumont, no Rio de Janeiro em 1887 Álvaro Fernandes da Costa Braga importou também da França o primeiro carro a vapor para serviço da empresa iniciando assim uma nova era.

Conduzidos por motoristas leigos que por iniciativa puxavam as alavancas, apertavam os pedais e saiam pelas ruas de terra batida e pedras. O decreto de n° 858 de 15 de Abril de 1902 surgiu para obrigar estes curiosos motoristas a fazer exames de condutores de veículos, e só no ano de 1906 apareceram os primeiros motoristas habilitados, onde a primeira comissão de examinadora de candidatos a condutores de veículos era constituída por engenheiros da Prefeitura do Rio de Janeiro. 

As pessoas que lavraram as primeiras Carteiras de Habilitação de motoristas no Brasil foram os cariocas Arthur Miranda Ribeiro, Afonso de Carvalho e Aníbal Bevilácqua. Em 1903 houve o primeiro acidente de automóvel no Brasil, onde um veículo a vapor de propriedade de José do Patrocínio dirigido por Olavo Bilac bateram em uma árvore nos caminhos da Tijuca, diante deste acidente as autoridades e a diretoria do Automóvel Clube do Brasil, começam a estudar projetos para um trânsito mais seguro.

Em 1903 veio as primeiras licenças para dirigir um automóvel, em 30 de Dezembro de 1905, o governo brasileiro autoriza a abertura de créditos para abertura de estradas de rodagem que liguem entre si as capitais de quaisquer Estado obedecendo as condições técnicas e de segurança, o primeiro exame de motoristas foi realizado em 08 de Janeiro de 1906, onde foram aprovados os seguintes examinados :  Carlos Inglez de Souza dirigindo o seu Darracq, Manoel Borges dirigindo o seu Panhard&Levassor , Ernani Borges dirigindo o seu Decauville, Francisco Leite Bettencourt Sampaio Junior dirigindo o seu Darracq, no dia 19 de Janeiro foram aprovados, o Engenheiro Jose Augusto Pereira Prestes, Honório Guimarães Moniz e João Vasques Martins.


No dia 07 de Fevereiro houve um novo exame e foram aprovados Felisberto Caldeira ( cocheiro dos carros dos Presidentes Campos Sales e Rodrigues Alves, e o primeiro chofer do Palácio do Catete ) e João Vieira da Silva Borges, e desde esta data os exames para a aprovação eram realizados de dois em dois meses. Nos Estados Unidos, no ano de 1908.


Com o lançamento do Ford Modelo T rapidamente considerado um automóvel popular, o controle de trânsito passa a ser rigoroso e é adotado em Road Island a primeira legislação referente a habilitação de motoristas. Em Nova York em 1909, antes da adoção do semáforo foi adotado um controle de cruzamento por meio de corneta ( um toque abria o trânsito para uma rua, dois toques para a outra ), no ano de 1911 há 640 mil veículos motorizados na Cidade de Michigam e foi adotado a pintura de faixas brancas para separar o fluxo de tráfego, na Cidade de Cleveland.

No ano de 1914 foi tentada uma solução mista audiovisual, pois os motoristas não se acostumavam com o semáforo, onde ao lado dele sempre tinha um guarda com um sino que tocava cada vez que o semáforo mudava de cor, em 1915, o total de veículos motorizados já era de 2,5 milhões e em Nova York surgem os primeiros estudos sobre a origem e o destino do trânsito urbano e os mapas com as localizações de acidentes.

Em 1916, veio os primeiros estudos de velocidades para veículos, retardamento e congestionamento para as ruas americanas, e a primeira legislação para pedestres, no mesmo ano em Detroit veio as restrições de estacionamento a meio fio, em Nova York em 1918, surgiram os primeiros semáforos automáticos do mundo, mais isso já é uma outra história que brevemente contaremos por aqui.


Parceiros






Tudo o que você precisar nós temos a informação.
Salão do Automóvel 2016
Easier
@Copyright 2009 www.negociosantigos.com.br All Rights Reserved                    Designed By: Easiernet          Acessos: 195778